Logo
  • Corredor cego ajuda atleta guia e juntos conquistam o bronze no Parapan

    Yeltsin Jacques e Rafael Santeramo correm grudados e não é força de expressão. O corredor tem 0,5% da visão, enxerga apenas vultos, e precisa de um atleta-guia para participar dos 5.000 mil metros nas competições. A dupla treina junta há mais de um ano e carrega relação de amizade de quase um ciclo olímpico.
    No Parapan de Lima eles chegaram como favoritos ao ouro por causa dos resultados conquistados ao longo da temporada. E tudo ia nos conformes durante 4.000 metros. Rafael corria pelo lado de fora, cantava as voltas para Yeltsin e os dois monitoravam a dupla canadense e a equatoriana, os principais concorrentes ao primeiro posto. A estratégia precisou ser alterada bem no sprint final.
    A estreia em uma competição continental, o estádio cheio, o barulho, os torcedores na arquibancada, e a pressão por defender um País favorito no atletismo passaram a pesar na cabeça de Rafael. O céu cinza da capital peruana ficou ainda mais escuro, as pernas já pareciam não obedecer o corpo. Ela queria desistir.
    “Percebi que o Yeltsin estava sobrando e poderia brigar pelo ouro. Mas é uma prova que a gente tem de estar junto, sofrer junto. Falei para ele: ‘temos que mudar o combinado'”, disse Rafael em entrevista ao Estado. O companheiro tentou animá-lo. “Dizia: ‘vamo, vamo, não desiste’. Sabia que dava para pegar medalha.”
    Rafael tentou se recuperar, respirou, forçou até onde dava, mas os canadenses abriram distância. Os equatorianos, que estavam um pouco atrás, emparelharam. Yeltsin e Rafael, presos por uma fita, não podiam se desprender ou seriam desclassificados. O corredor cego diminuiu o ritmo e viu deixar escapar a prata. Rafael, já cabaleando, cruzou a linha de chegada a tempo de ganhar o bronze.
    “No meu primeiro Parapan em Guadalajara-2011 também senti a pressão. Não é fácil mesmo”, disse Yeltsin, que nasceu com baixa visão e foi batizado em homenagem ao ex-presidente russo Boris Yeltsin. No segundo evento continental, em Toronto-2015, ele superou o trauma e faturou logo dois ouros, um no 5.000m e outro nos 1.500m.
    Rafael caiu na pista e ficou estirado centímetros após terminar a prova. Yeltsin levantou a mão para pedir ajuda. Enquanto ninguém aparecia ele ia e vinha, mexia nos cabelos, ainda tentando digerir tudo o que havia acontecido nos 15 minutos e 41 segundos da largada até o final. Dois médicos entraram na pista e colocaram Rafael na cadeira de rodas. O atleta guia saiu carregado. Yeltsin caminhou sozinho em direção ao vestiário.

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!

  • Anne Boutique

  • Policiais do 27º BPM prende estuprador em Rosário

    Policiais do 27º BPM prende estuprador em Rosário

    Um homem identificado como Walison Rodrigues dos Santos de 28 anos foi preso no início da noite desta segunda-feira (12), pela prática de estupro de vulnerável na cidade de Rosário, no Bairro Lagoa Azul, a vítima tem 17 anos, ela estava voltando da escola em uma bicicleta, quando foi surpreendida pelo indivíduo.A prisão aconteceu após policiais de serviço atenderem um chamado da central, de que ele teria cometido o crime de estupro, no endereço informado, a equipe de serviço foi até o local.

    Posted by Blog do Suerle Mourao on Monday, August 12, 2019
  • 3D INFORMÁTICA

  • A arte da nossa cidade Rosário

  • Assinar blog por e-mail

    Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

    Junte-se a 546 outros assinantes

  • error: Conteúdo Protegido